terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Sangue frio

Não sou mulher de grandes opções.

Até porque descobri que é preciso ter sangue de barata e conviver, just by side, com situações que não são minhas, nem queria, nem pensava delas. Mas, já agora, vamos lá a ver.

Mas não deixes o sangue ficar quente e virar "ciranda". Essa seria morte certa. Tu não és gata, e já morreste vezes suficientes.

3 comentários:

Sinhã disse...

:-) tão bonito isso que dizes. tão verdade.:-)

Bruna disse...

Gosto muito de ler o que tu escreves.....mas uma grande verdade!

Ciranda disse...

Meninas, c'est la vie...